Insegurança

De onde vem esse sentimento que persegue tantas pessoas?


 

Insegurança de não ser aceito por pensar diferente do que é considerado “normal”;

Insegurança ao apostar num sonho, às vezes o maior de todos;

Insegurança em mudar a cor ou corte do cabelo;

Insegurança ao entrar numa nova sala de escola ou faculdade;

Insegurança em achar que está fora do “peso ideal”;

Insegurança para falar sobre seus sentimentos para outra pessoa;

Insegurança para ser quem você quer ser;

Insegurança.

 

E por que tanta insegurança? Conversei com a psicóloga social, Marcia Marques e ela conta que insegurança é um sentimento de inferioridade.

As pessoas inseguras sempre acham que os outros são melhores que elas. Isso está relacionado com as satisfações e frustrações vividas ao longo da vida. Os estímulos vividos na infância e na vida adulta interferem neste sentimento.

A sociedade possui grupos e regras, e a maioria de nós quer ter a sensação de pertencimento. Você deixa de fazer alguma coisa por insegurança? Faça AGORA o que tem vontade, depois você continua o texto, ok?

Quantas vezes chorei por uma mistura de insegurança e medo… Foram MUITAS vezes até eu me perguntar “ué, mas eu to fazendo o que eu gosto e estou com a consciência tranquila, por que então estou chorando?“. Choramos por essa incerteza de que seremos respeitados, não é mesmo? Choramos por não querer o comentário negativo de outra pessoa, essa, que está por fora do que se passa dentro da sua cabeça e coração. Choramos por medo de ficarmos sozinhos.

Cada um é de um jeito, nas suas mais diversas complexidades. Cada um sabe o que é certo e errado para si e a partir dai agimos de acordo com nossas vontades. Porém, não prejudique o outro para ter o que quer e nem pense que você é melhor do que o outro por pensar de tal maneira.

Mas quem sou eu para falar de inseguranças. Essas já foram algumas das minhas e para vencer esse tormento, foram anos falando para mim mesma todos os dias: “Eu sou capaz, não devo satisfações a ninguém. Eu posso ser o que EU quiser ser!”. 

Sei das minhas necessidades, mesmo que por hora, e a partir delas crio minhas metas. Bem, até hoje choro por algumas inseguranças e não me culpo. Sei que é um processo demorado e que vou construir quem sou eu dia após dia. Você cresce a partir das suas inseguranças, mas para isso, não deixe elas te dominarem. Porque você vive para você. VOCÊ é a protagonista dessa história.

ATENÇÃO: você não deve agradar platéia alguma.

Deixe-se despertar.

Beijos, Amanda Manera.

 

ILUSTRAÇÃO @SANTORABISCO

Postagens relacionadas